quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Messiense deverá assumir direção do CDP de Patu


Os Centros de Detenção Provisória (CDP´s) foram criados em fins do governo do PSB, de Wilma de Faria e Iberê Ferreira de Souza, cujo mandato foi de 1º de janeiro de 2006 a 31 de dezembro de 2010.

Na prática, o governo do Estado transformou a carceragem de algumas Delegacias de Policia Civil (inclusive Delegacias Regionais de Polícia Civil) em Centro de Detenção Provisória - CDP´s.

Policiais civis e policiais militares lotados nas Delegacias de Polícia ficavam responsáveis pela custódia de presos provisórios, que a rigor deveriam estar nas Cadeias Públicas enquanto não tivessem suas prisões revogadas ou enquanto estas não fossem tornadas definitivas.

Com a criação dos CDP´s, agentes penitenciários foram designados para cuidar da custódia dos presos que estão nesses locais.

A governadora Rosalba Ciarlini Rosado, que assumiu o cargo em 1º de janeiro de 2011, manteve em funcionamento os Centros de Detenção Provisória, que continuam funcionando precariamente, com péssimas estruturas físicas, poucos agentes penitenciários e sem muita segurança. Nem mesmo o serviço de internet é custeado pelo Estado, mas pelos próprios agentes, que também compram a água que consomem diariamente.

Em Patu, o Centro de Detenção Provisória (antiga carceragem da Sétima Delegacia Regional de Polícia Civil) vinha sendo dirigido por Mignum Batista de Andrade, agente penitenciário.

Nesta segunda-feira (30 de julho), porém, Mignum Andrade e o também agente penitenciário Wallacy Rocha Barreto estiveram na sede da Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania - SEJUC, em Natal, para tratarem da mudança na direção do CDP patuense.

Ficou acertado com representantes da cúpula da SEJUC que Wallacy Rocha Barreto será o novo diretor do CDP de Patu, que tem presos provisórios e também definitivos de Patu, Messias Targino e outros Municípios da região Oeste do Rio Grande do Norte.

Segundo os dois, nos próximos dias o ato de nomeação será editado e publicado.

Até lá, Mignum continuará respondendo pela unidade prisional patuense.

Wallacy, bacharel em Direito, é messiense, filho do advogado patuense Wellington Barreto (radicado em Mossoró) e da servidora pública Jussara Rocha, residente em Messias Targino.

Aprovado recentemente no exame de ordem da OAB/RN, Wallacy ainda não se decidiu por abraçar a advocacia, embora diga que irá fazê-lo brevemente.

Agora, terá mais um importante desafio na vida.

Gostou da Postagem?

0 comentários:

Postar um comentário