quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Lucro do Banco do Nordeste cresceu 63% no 1° semestre

O Banco do Nordeste apresentou lucro líquido de R$ 326 milhões no 1° semestre de 2014, resultado 63% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. Ao todo, o Banco realizou 2,2 milhões de operações de crédito, correspondentes a R$ 9 bilhões em financiamentos concedidos para todos os setores da economia.

O presidente Nelson Antônio de Souza ressalta que, do total contratado, R$ 4 bilhões foram com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), principal funding do Banco. Por meio do fundo, o BNB realizou 214 mil operações no semestre.

Em relação a crédito de curto prazo, o programa de microcrédito urbano do Banco do Nordeste (Crediamigo) lidera, seguindo sua trajetória ascendente. Alcançou crescimento de 24,5% no semestre, com R$ 3,3 bilhões emprestados.

Já o Agroamigo, voltado para agricultores familiares, superou a marca de R$ 2 bilhões em sua carteira ativa, registrando crescimento de 19,7% em relação a dezembro do ano passado.

Recuperação de crédito e rentabilidade

O Banco renegociou R$ 351,5 milhões em operações, sendo que as receitas obtidas com recuperação de crédito no semestre somaram R$ 42,6 milhões.

A melhoria na qualidade do crédito teve forte impacto nos resultados. O balanço registra diminuição em quase 50% da necessidade de provisionamento, reduzida de R$ 789,9 milhões no primeiro semestre de 2013 para R$ 395,8 milhões no mesmo período de 2014.

Outro avanço foi a rentabilidade média anualizada, que alcançou, no primeiro semestre de 2014, 22,2%, contra 16,2% obtidos nos primeiros seis meses de 2013. O Patrimônio Líquido em jun/2014 totalizou R$ 3,2 bilhões, o que mantém o Banco numa situação confortável frente às exigências do Acordo de Basiléia III. “Apresentamos um índice de alocação de capital de 16,39%, frente a uma exigência de 11%. Assim, existe um espaço considerável para alavancagem dos novos negócios”, destaca o presidente Nelson Antônio de Souza.

Resultados no Rio Grande do Norte

No Rio Grande do Norte, as contratações alcançaram o patamar de R$ 536 milhões em empréstimos de curto e longo prazo, distribuídos em mais de 145 mil operações, em prol do desenvolvimento do estado.

Os números foram divulgados pelo superintendente estadual, Francisco Carlos Cavalcanti, durante coletiva de imprensa realizada na sede da Superintendência Estadual, no Edifício Lagoa Center, em Natal. O superintendente ressaltou o desempenho dos programas de microfinanças urbana (Crediamigo) e rural (Agroamigo), que obtiveram destaque no balanço, totalizando mais de R$ 244,5 milhões em quase 120 mil operações realizadas junto aos microempreendedores de todo o estado.

O Crediamigo alcançou a marca de R$ 205,6 milhões, enquanto o Agroamigo contratou R$ 38,8 milhões. Já as micro e pequenas empresas potiguares obtiveram recursos da ordem de R$ 125,5 milhões.

Os produtores rurais e agricultores ainda foram contemplados pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF), que destinou mais de R$ 46 milhões de financiamentos no período.

Fonte: Imprensa/Banco do Nordeste

Gostou da Postagem?

0 comentários:

Postar um comentário