sábado, 20 de outubro de 2012

STJ nega liberdade a vereador acusado de pistolagem no RN


O Superior Tribunal de Justiça (STJ) rejeitou a liminar apresentada pelos advogados de defesa e negou o pedido de habeas corpus do vereador Odelmo de Moura Rodrigues, ex-presidente da Câmara Municipal de Assu, cidade distante 207 quilômetros de Natal. Odelmo, que foi reeleito como o candidato mais votado no pleito deste ano, encontra-se preso no Quartel Geral da Polícia Militar, em Natal, desde o dia 31 de agosto sob a acusação de participação em crimes de pistolagem no interior do estado.

De acordo coma decisão do STJ, há razões concretas para que o vereador permaneça preso, como pediram o Ministério Público e a Polícia Civil. No final de setembro deste ano, o vereador já havia sofrido uma derrota no Tribunal de Justiça do RN, que negou por unanimidade o pedido de liberdade.

O vereador Odelmo de Moura Rodrigues nega as acusações. Ele foi preso durante a Operação Mal Assombro, deflagrada pelo MP Estadual e Polícia Civil no final de maio deste ano. Ele é acusado de liderar uma quadrilha de pistoleiros na cidade de Assu e região. Entre os alvos do bando, segundo as investigações, estava o deputado estadual Nélter Queiroz. O parlamentar, em razão das ameaças e da necessidade de andar escoltado, pediu licença de 120 dias da Assembleia Legislativa potiguar.

Ainda de acordo com o Ministério Público, a quadrilha apontada nas investigações cometia assassinatos por motivos diversos, que vão desde brigas pessoais a possíveis disputas econômicas e políticas.

Operação Mal Assombro

A Operação Mal Assombro, que recebeu este nome em razão do terror que os acusados causavam à população do Vale do Açu, na região Oeste potiguar, foi deflagrada no último dia de maio, coordenada pelo Ministério Público em parceria com a Divisão de Polícia do Oeste, a Divipoe.

O cumprimento dos mandados de prisão, busca e apreensão ocorreram nas cidade de Assu e Guamaré, com o objetivo de combater crimes de pistolagem, porte e posse ilegal de arma de fogo. Ao todo, 12 pessoas foram presas e 21 armas encontradas, entre elas espingardas, pistolas, revólveres, rifles, granadas, munições de diversos calibres e três camisas e um colete da Polícia Civil.

Segundo informações do delegado Odilon Teodósio, titular da Divipoe, foram cumpridos 21mandados nas casas, estabelecimentos comerciais, escritórios e sítios dos investigados. Entre os presos, estava o presidente da Câmara Municipal de Assu, Adelmo Rodrigues Caldas, com quem foram encontradas três armas, sendo um rifle calibre 22, uma carabina calibre 38 e uma garrucha.

Aos policiais, o vereador contou que as armas fazem parte de uma herança e estão com a família há muitos anos. Adelmo pagou fiança no valor de 30 salários mínimos e foi liberado, assim como a maioria dos presos.

Fonte: G1

Gostou da Postagem?

0 comentários:

Postar um comentário