sexta-feira, 16 de julho de 2010

Teatro do Oprimido em Messias Targino

Por Ceiça Guilherme


A oportunidade surgiu a partir de um projeto criado pelo estudante Pedro Almeida, da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Campina Grande. O projeto foi aprovado pelo Ministério da Cultura, dentro do programa Mais Cultura. Segundo Pedro a decisão de escolher Messias, além de ser sua cidade natal, foi tomada com base no reconhecimento de que o município dispõe de jovens talentosos, dessa forma, visando à chance desses estudantes fomentarem a ideia e aprimorar as ações em torno dessa arte, que é o teatro.

Para participar da oficina, que foi ministrada por uma equipe de agentes multiplicadores, vindos de Campina Grande, foram selecionadas quarenta pessoas, desse total, dezesseis foram escolhidos para participar do curso. O resultado desse trabalho foi bem satisfatório e gerou uma grande expectativa nos participantes no sentido de continuar com o projeto. “O objetivo é dá continuidade a esse projeto, portanto, é preciso empenho e responsabilidade por parte do grupo já formado”, disse.

A primeira apresentação aconteceu no último sábado, 10 de julho, no Centro Cultural de Messias Targino, com boa participação popular. A peça foi encenada com várias surpresas para o público. Abordando temas voltados para questão social, focando assuntos que estão sempre em pauta, como o racismo, os expectadores tiveram a oportunidade de participar do teatro. Ao longo da peça o público era convidado a expor sugestão para sequência do enredo, e logo, poderia participar da cena. Este foi um dos momentos que mais encantou os apreciadores da primeira apresentação do grupo.

De acordo com Marcos Morais, jornalista e agente multiplicador, também um dos ministrantes da oficina em Messias Targino, o Teatro do Oprimido reúne hoje grupos de teatros em todo o Brasil. Segundo ele a ideia é abordar sempre temas voltados para questão social e a mobilização do público. Acrescentando que uma das características é transformar a realidade do dia a dia em diálogo.

O Teatro do Oprimido é um movimento teatral, criado nos anos 70, por Augusto Boal, teatrólogo brasileiro. O método reúne técnicas teatrais, exercícios, jogos entre outras atividades.

 


Gostou da Postagem?

0 comentários:

Postar um comentário