sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Ministério Público denuncia Wilma de Faria e mais 14 por improbidade administrativa


O Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte ajuizou nesta quarta-feira (04), uma ação civil pública contra a ex-governadora Wilma de Faria e mais 14 pessoas, por atos de improbidade administrativa no suposto esquema criminoso investigado pela operação Sinal Fechado. O filho de Wilma, Lauro Maia também está envolvido na ação.

Os já falecidos ex-governador Iberê Ferreira de Souza e ex-senador João Faustino também estão na lista. Além das pessoas, são alvos da ação do MP o Instituto de Registradores de Títulos e Documentos de Pessoas Jurídicas do RN (IRTDPJ) e duas empresas.

Na ação, o Ministério Público pede a perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio dos envolvidos, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos, pagamento de multa civil, proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, pagamento de indenização por dano moral coletivo, além do ressarcimento pelos danos patrimoniais causados aos consumidores que foram compelidos ao pagamento da taxa indevida.

O processo foi distribuído para a 3ª Vara da Fazenda Pública de Natal e tramitará em segredo de justiça.

Fonte:Mossoró Hoje via Messias Online



Gostou da Postagem?

0 comentários:

Postar um comentário