domingo, 16 de dezembro de 2012

[Vídeo] Vanzinho Carneiro detalha como fez o 2º maior assalto da história do Brasil em 1982

Até o roubo dos mais de 164 milhões de reais do Banco Central de Fortaleza (CE), entre os dias 6 e 7 de agosto de 2005, o maior assalto do País havia sido dos 94 milhões de cruzeiros da emergência, protagonizado por membros da tradicional família Carneiro de Caraúbas, no dia 18 de maio de 1982. Superou, inclusive, o assalto do trem pagador, com Tião Medonho, contado em filme.

O caso policial repercutiu em todo o País; levou para cadeia o grupo que organizou o assalto; mas também vitimou pessoas inocentes. Tudo isso já foi divulgado à exaustão.

Porém, detalhes da ação espetacular dos Carneiros, o leitor vai conhecer agora, três décadas depois. No “Cafezinho com César Santos”, o agropecuarista e cantor evangélico José Vantuil Carneiro, o “Vanzinho”, conta como tudo aconteceu. Ele participou diretamente do assalto, juntamente com outros três membros de sua família.

A idéia era pegar 600 milhões de cruzeiro, direto do avião, mas houve um acidente de trânsito que impediu a ação no aeroporto”, conta, sem se vangloriar. “Hoje não faria mais”, confessa. Vanzinho foi condenado por esse e vários outros crimes a 142 anos de prisão. Hoje, ele está livre e sem nenhuma pendência com a Justiça.  “Paguei pelos meus erros”, afirma.

Há 28 anos, ainda na cadeia, se converteu ao evangelho e iniciou a carreira de cantor evangélico. Tem gravado cinco LPs, cinco CDs e um DVD com hinos e testemunhos. “Sou um ganhador de almas para Jesus. Ganhar alma é a remissão de pecado”, afirma, na redação do defato.com de Mossoró.

Vanzinho também fala sobre os confrontos de famílias em Caraúbas, do momento atual do clã Carneiro e diz que a sua família não volta mais para o crime. “Entramos nesse mundo porque era matar ou morrer; nossa família sempre foi muito perseguida”, justifica. Leia a entrevista com César Santos e imagens Cézar Alves.



Fonte: Jornal De Fato

Gostou da Postagem?

0 comentários:

Postar um comentário