sábado, 7 de julho de 2012

Estou preparado para o desafio de suceder Shirley Targino

Do Correio da Tarde, 28/06/2012

Jovem de 22 anos, acadêmico do Curso de Direito, o estreante da política Arthur Targino (PMDB), concedeu sua primeira entrevista como pré-candidato a prefeito de Messias Targino ao Correio da Tarde. Na oportunidade ele fala do desafio de enfrentar uma eleição municipal, com a proposta de representar o grupo da prefeita Shirley Targino, que conta com altos índices de popularidade e ainda enfrentar uma oposição que vem se preparando ao longo dos últimos sete anos para tentar retomar o comando do Executivo. Ele também fala de seus projetos e dos desafios que terá de enfrentar para conseguir dá continuidade ao trabalho da atual gestão e também impor suas propostas para promover ainda mais o desenvolvimento da cidade.

Arthur fala ainda da importância da parceria envolvendo o PMDB e o PT, além do apoio de outros partidos. Para ele na política o importante é a soma de forças em torno de um propósito comum.

Correio da Tarde - O que leva um jovem acadêmico do Curso de Direito a abrir mão da conclusão desse curso nesse momento para ingressar na vida pública disputando a prefeitura de um município que tem sido referência dentro e fora do RN? 

AT - É claro que eu pensei muito, quando recebi o convite do grupo político a quem estou ligado. Afinal de contas vou ter que trancar matricula na universidade, rever meus projetos de vida, e isso sempre implica em uma mudança radical na vida da gente. Mas tive uma educação familiar que me ensinou que os desafios da vida devem ser enfrentados. Esse é uma grande desafio...sei que não será fácil....mas aceitei. E agora vou trabalhar para vencer essa eleição e, tentar ser um bom prefeito para minha cidade.

C.T - O fato de ter uma família com tradição política pesou no momento de tomar essa decisão de aceitar enfrentar esse desafio de disputar a prefeitura de Messias Targino? 

AT - Não posso negar isso. Cresci numa família de políticos, tanto pelo lado da minha mãe quanto do meu pai. Desde os quinze anos de idade que venho acompanhando a vida política de Messias Targino. Vi em especial o trabalho da prefeita Shirley, atuei nas suas campanhas eleitorais, principalmente na última. Foi o exemplo que ela me deu que me incentivou a enfrentar esse desafio, como já falei.

C.T - Quando foi que você decidiu que ingressaria na política? Essa decisão surgiu agora ou é algo que já vinha amadurecendo em você? 

AT- Como eu já disse, tomei gosto pela política para valer vendo o trabalho do dia-a-dia de uma administração municipal. Acompanhei o trabalho da prefeita Shirley e vi que é possível fazer boas coisas por uma cidade, mesmo enfrentando as dificuldades naturais desse tipo de trabalho. E sabe? O que mais me incentivou foi ver que ela pegou a prefeitura desmanchada e agora, quase oito anos depois, a gente pode ver que o messiense já tem orgulho de sua cidade de novo! Tenho certeza de que ela preparou um bom caminho para o futuro prefeito de Messias Targino. E eu vou ser esse prefeito!

C.T - A prefeita Shirley Targino está concluindo seu segundo mandato com altos índices de aceitação popular pelo trabalho realizado nas áreas de habitação, saúde, infraestrutura e assistência social. Além desses setores o que você pretende priorizar se eleito em 7 de outubro? 

AT- Olha, é verdade. Ela arrumou a casa, deixou a cidade muito melhor do que era e isso pode ser visto nas ruas de Messias Targino, porque as pessoas não escondem a admiração pelo trabalho dela. Nós estamos preparando um projeto de governo, com base no que já foi realizado e no que ainda precisa ser feito. Eu, particularmente, penso que meu maior desafio vai ser gerar emprego e renda para a população. Tenho que pensar nos milhares de jovens de lá, como eu, que precisam encontrar melhores oportunidades na vida. É claro quer vamos trabalhar em outras áreas essenciais, mas estimular o desenvolvimento econômico da cidade vai ser, com certeza, minha meta principal.

C.T - Existe certa preocupação com relação à manutenção do apoio que a prefeita Shirley tem dado a agricultura familiar. Essa parceria será mantida? Existe proposta de fortalecer ainda mais esse segmento? 

AT- Olha, eu sei que um município como Messias Targino tem sua economia dependente principalmente da agricultura. Aliás, isso ocorre com a maioria dos municípios do Rio Grande do Norte, não é. A prefeita Shirley tem sido bem sucedida no projeto dela de valorizar a agricultura familiar, porque isso tem enorme importância social. É claro que pretendemos continuar e vamos ampliar esse trabalho. Até porque existem programas estaduais e federais que trazem recursos para esse trabalho. Se a questão é apenas vontade política de fazer, então eu vou continuar o que a prefeita tem feito...buscar os recursos, apresentar bons projetos e fazer a coisa andar. Não tem mistério nisso.

C.T - O Município de Messias Targino tem sido referência em todo o RN e também em nível nacional pelo desenvolvimento que a cidade tem obtido através do empreendedorismo. A proposta de incentivar e promover o empreendedorismo na cidade, será mantida? 

AT. Mas é claro. Eu já disse que meu maior desafio vai ser garantir que a população da cidade tenha mais oferta de emprego, que possa sobreviver sem precisar da esmola de ninguém! Olha, a riqueza desse país começa é no município. O dinheiro que o governo federal arrecada vem lá do município. Mesmo os menores e mais pobres contribuem para gerar a riqueza. Então o que a gente tem que fazer é atrair a indústria, o comércio... sabe? Com os pés no chão, olhando a realidade da cidade, sem sonhar com o impossível. Messias Targino tem muito potencial. O que a gente tem que fazer é valorizar a riqueza que está lá e ainda não foi explorada.

C.T - Pelo potencial que o município possui nas áreas da agricultura famíliar, exploração de minério, comércio de bens de consumo e prestação de serviços, que setores poderiam ser ainda mais explorados para melhorar a economia local proporcionando aumento da geração de emprego e renda? 

AT- Eu tenho certeza de que podemos melhorar muito as condições de produção na zona rural, onde, aliás, vivem as pessoas mais carentes do município. Essa será uma das metas. Outra é desenvolver o potencial da mineração, que ainda tem muito a oferecer. Mas estamos olhando para outras áreas, como o turismo e essa nova onda das energias renováveis. Estive pesquisando e descobri que em cada hectare de terra em Messias Targino cai num ano energia solar suficiente para abastecer de eletricidade toda a cidade. Porque não explorar essa área, ainda virgem aqui no estado? A energia solar é tão boa quanto a energia eólica. E sol é coisa que não falta no Nordeste! Se for possível, vamos atrás disso!

C.T - Para assegurar uma gestão participativa a prefeita Shirley conta com a participação de representantes da sociedade civil organizada para debater os problemas que envolvem as comunidades. Você pretende manter essa linha de aproximação com as bases?

AT - Olha, um prefeito moderno, que pensa de verdade no bem da população, não pode deixar de fazer isso! Como é que você pode administrar uma cidade, sem ouvir o que a população pensa? Saber das necessidades das pessoas e das soluções que muitas vezes elas mesmas tem? Gente, temos que acabar com essa idéia de que o povo só quer saber de receber benefícios. O povo quer é trabalhar, as pessoas querem é contribuir para a sua cidade. Lá em Messias Targino a população tem dado um enorme apoio à prefeita Shirley e eu acho que ela só conquistou o sucesso que está tendo porque o povo está ajudando. Aqui tem outro desafio: eu tenho é que melhorar o que já está bom....essa participação da população nas decisões da prefeitura

C.T - As duas gestões da prefeita Shirley tem uma marca não muito comum nas pequenas cidades que é de conseguir unir força de oposição e situação em nome do povo de Messias Targino. Independente de ser PMDB, PT ou dos demais partidos aliados, você pretende buscar apoio de partidos que não estiveram aliados ao grupo para administrar a cidade, caso seja eleito? 

AT- E porque eu não faria isso? Olha...a minha escola política é da união, não é a da briguinha política, a da disputa só por interesses pequenos, pessoais. Hoje em dia o bom político tem que ser sobretudo honesto. Se não for, um dia acaba quebrando a cara. A minha geração cresceu acompanhando os problemas da política brasileira. Só que eu, ao invés de me desiludir com a política, percebi que é possível sim melhorar a política. Aliás, é obrigação da gente. Não falam tanto em cidadania? Se os jovens são cobrados o tempo todo para serem bons cidadãos, então é preciso que vistam essa camisa. Eu também tive a sorte de ser criado numa família de políticos que sempre pensou assim....na união como a melhor forma de se fazer o bem. Vou sim procurar até os partidos que hoje são de oposição ao nosso grupo. Se isso contribuir para melhorar a vida da população da minha cidade, topo o desafio!

C.T - O que vai representar essa aliança do PMDB com o PT para o povo de Messias Targino nesse momento? 

AT- A gente sabe que um prefeito não pode fazer uma boa administração se não tiver o apoio do governo estadual e do federal. Por mais vontade que se tenha de fazer as coisas andarem, não podemos ignorar os recursos que o município recebe. O meu partido, o PMDB, está na base da presidenta Dilma. E o PT nem se fala! Isso facilita as coisas, na hora de buscar os recursos que a prefeitura precisa. Aliás, essa aliança não é nova! O PT e o PMDB estão apoiando a prefeita Shirley já há alguns anos. Eu lembro aqui que a deputada Fátima Bezerra tem sido muito importante no apoio à Messias Targino. Da mesma forma tem sido o comportamento do ministro Garibaldi Alves, do filho dele, o deputado Waltinho e do deputado federal Henrique Alves. Para ser franco, a gente se relaciona bem com todas as correntes políticas do estado. Tem o João Maia, tem a governadora Rosalba, o Zé Agripino e diversos outros. Eu, na verdade, escolhi me filiar ao PMDB depois que vi o Waltinho fazer o belo trabalho que ele está fazendo. Um cara jovem, com muitas idéias novas! Se eu tenho que me espelhar em alguém, ele é uma boa escolha, não é?

C.T - Embora não seja regra, para administrar bem uma cidade de pequeno porte se faz necessário ter uma boa representação no Legislativo. O grupo possui bons nomes na disputa proporcional que vão assegurar maioria na Câmara? 

AT- A prefeita Shirley conseguiu unir os vereadores de Messias Targino, graças ao bom relacionamento dela com eles e também pelo trabalho desenvolvido na cidade. Hoje a gente tem ampla maioria na Câmara Municipal. Eu tenho certeza de que vamos manter essa maioria, porque, com os vereadores unidos, é muito mais fácil administrar um município.

C.T - Como está sendo trabalhado o plano de governo que terá que ser entregue a Justiça Eleitoral após a homologação da chapa? 

AT- Nós começamos a trabalhar nele logo que meu nome foi escolhido. A gente montou um grupo de trabalho, composto por pessoas que conhecem muito bem a realidade do município e tem boas idéias a oferecer. Devemos concluir esse plano até o começo da próxima semana e olha, pelo que já está definido, ele vai ser muito bom. E tem mais uma coisa: nosso plano de governo não é eleitoreiro, viu? É para ser executado. É para garantir que a cidade tenha o futuro que merece. Tenho por mim que sem um bom planejamento de ações, a gente não faz nada. Se isso serve para a vida pessoal, quem dirá para uma cidade inteira. Além do mais a prefeita Shirley já deu o encaminhamento de muitas das ações que serão continuadas.

C.T - Que mensagem você deixa para o povo de Messias Targino com relação ao que eles poderão esperar de você, caso consiga obter êxito no pleito do dia 7 de outubro? 

AT- Eu já venho me fazendo a mesma pergunta a um bocado de tempo, desde que aceitei o desafio. E sabe de uma coisa. Tô tranqüilo quanto ao papel que eu posso ter no futuro da minha cidade. A gente, de certa forma, cresce enfrentando desafios. Você já parou para pensar na dificuldade que foi para aprender a andar? Eu pelo menos levei um bocado de quedas até aprender. E aprendi! Como todo mundo faz! Tenho 22 anos e isso parece muito pouco. Mas sabe, não é. Eu conheço a história de algumas pessoas que ajudaram a mudar o mundo com menos idade que eu. Eu garanto para a população de Messias Targino que vou trabalhar duro, que vou me cercar de muita gente experiente e competente para me ajudar, porque afinal de contas ninguém faz nada sozinho. Mas eu sei que tenho garra e coragem para superar todos os desafios que eu sei que vão aparecer. Quem acreditar em mim não vai se arrepender.

Gostou da Postagem?

0 comentários:

Postar um comentário