quarta-feira, 13 de julho de 2011

Estudantes da Uern desocupam prédio da 12ª Dired

Após 27 dias de ocupação, os estudantes acampados na sede da 12ª Diretoria Regional de Educação, Cultura e Desporto (Dired) deixaram o prédio no início da tarde de ontem, 12.

A decisão, de acordo com Max Medeiros, membro do Comando de Mobilização Estudantil (Comem), não significa que o movimento cedeu às pressões exercidas pelo Governo do Estado, e sim uma mudança de estratégia, uma vez que uma nova mobilização foi formada em Natal, o #levantedoelefante e, segundo o estudante, não faria sentido permanecer na Dired. "O grupo decidiu seguir para Natal, em apoio ao levante do elefante. Nosso objetivo é somar forças", afirma Max Medeiros.

Ainda segundo o membro do Comem, o prédio da Dired foi entregue sem nenhum tipo de depreciação. "O prédio está sujo porque não tínhamos água para limpá-lo, mas sua estrutura está igual a quando ocupamos o local", diz.

O grupo formado por cerca de 50 estudantes ocupou a Dired no dia 16 de junho, com o objetivo de chamar a atenção do governo para as reivindicações da categoria, que solicita o descontingenciamento dos recursos da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern) e a suplementação de R$ 4,3 milhões para 2011, além da disponibilização dos mesmos valores para 2012. Os recursos seriam destinados à assistência estudantil, participação de estudantes em congressos e aulas de campo.

Inicialmente, os estudantes defendiam que as propostas da categoria fossem apresentadas diretamente à governadora Rosalba Ciarlini, o que acabou não acontecendo.

O movimento ganhou ainda mais visibilidade após os estudantes permanecerem acampados na Dired, mesmo após a expedição, no dia 5 de julho, de uma liminar da Vara da Fazenda Pública determinando a desocupação do prédio.

Ao longo da ocupação, os estudantes receberam o apoio da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da Associação dos Docentes da Uern (Aduern), e do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do RN (Sinte/RN).

Na última sexta-feira, 8, o fornecimento de água e energia do prédio foi suspenso a partir de uma determinação da Procuradoria-Geral do Estado (PGE). Segundo Max Medeiros, a desocupação não está relacionada com esse fato. "A gente sabia que iriam existir privações, e estávamos preparados para isso", conta o estudante.

Manifestantes são recebidos pelo Governo do Estado

Durante o período em que estiveram acampados na Dired, os estudantes receberam um comunicado oficial do Governo do Estado em que dizia que as negociações só irão ser iniciadas após a desocupação do prédio. Insatisfeitos com o posicionamento do governo, os discentes não atenderam, a princípio, as condições estabelecidas para a negociação.

Após os estudantes deixarem o prédio, o secretário-chefe do Gabinete Civil, Paulo de Tarso Fernandes, recebeu na Governadoria, na tarde de ontem, seis estudantes da Uern. Para Max Medeiros, não houve avanços na reunião, uma vez que as reivindicações não foram atendidas e um novo encontro foi agendado, para a próxima sexta-feira, 22. "Nós vamos continuar acampados em frente à Governadoria, já que não há propostas concretas, respostas objetivas por parte do governo, que marcou esse reunião para agendar outra reunião", conta.

Além de Max Medeiros, estiveram presentes na reunião os estudantes Dayvson Moura (aluno de Direito da Faculdade Estácio de Sá, Natal), Thiago Rafael Freitas (aluno da Escola Peregrino Júnior, Natal), Luiz Luz (aluno de Ecologia da Ufersa, Mossoró), Daniel Henrique (aluno de História da Uern, Mossoró) e Rillen Rossy (aluno de Filosofia da Uern, Mossoró).

A nova reunião será realizada no campus da Uern em Mossoró e terá a presença dos secretários Paulo de Tarso, Betânia Ramalho e Anselmo Carvalho.

Fonte: O Mossoroense

Gostou da Postagem?

0 comentários:

Postar um comentário