terça-feira, 29 de setembro de 2015

Operação prende policiais suspeitos de crimes no RN

Uma operação do Ministério Público do Rio Grande do Norte em conjunto com Polícia Militar prendeu na manhã desta terça-feira (29), 12 policiais suspeitos de corrupção e tráfico de drogas. A operação ‘Novos Rumos’, é resultado de dez meses de investigações. As prisões foram decretadas pela Vara da Auditoria Militar do Estado.

Policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) e do Batalhão de Polícia de Choque (BPCHOQUE) estão executando os mandados, dando voz de prisão aos investigados e fazendo a pertinente condução para providências cabíveis.

De acordo com o Ministério Público, a Operação tem relação e, em parte, é desdobramento da “Operação Citronela” deflagrada na última sexta-feira (25),  os indícios de ações ilícitas por parte de Policiais Militares do 9.º BPM foram trazidos ao Ministério Público a partir de dados colhidos da relação criminosa entre tais Policiais e colaboradores de Joel Rodrigues da Silva, conhecido como "Joel do Mosquito", preso na última sexta-feira, além de outras fontes que igualmente relataram desvios diversos de conduta.

A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) confirmou que a secretária Kalina Leite acompanhou as investigações que desencadearam a Operação Novos Rumos. Ela, porém, só irá comentar o caso após a coletiva de imprensa marcada pelo Ministério Público Estadual para ocorrer às 14h. Foi antecipado, entretanto, que contra os policiais militares presos na manhã desta terça-feira, foram feitas denúncias de naturezas diversas, incluindo a prática de homicídios.

O comandante geral da Polícia Militar, coronel Ângelo Dantas, também só deverá se pronunciar sobre o envolvimento dos policiais militares nos crimes apontados pelo Ministério Público Estadual à tarde. A assessoria de imprensa da Polícia Militar destacou que todos os procedimentos estão sendo efetuados conforme determinado pela Justiça. Os militares presos foram conduzidos ao Instituto Técnico e Científico de Polícia (Itep/RN) para exames de corpo de delito para, em seguida, serem conduzidos ao Ministério Público Estadual para prestarem depoimento. Após a liberação pelos promotores, deverão ser conduzidos para o  Presídio Militar, situado no prédio do BOPE, em Panatis, na zona Norte da capital.

Fonte: Tribuna do Norte

Gostou da Postagem?

0 comentários:

Postar um comentário