quarta-feira, 7 de julho de 2010

Lei do Patrimônio Vivo

A todos que fazem de Messias um Patrimônio Vivo, em especial os violeiros Damião Pereira e Abreu da Silva, apresentamos aqui a Lei do Patrimônio Vivo, publicada no Diário Oficial do Estado no dia 7 de julho de 2009, e de autoria do deputado Fernando Mineiro (PT).

Ela garante o pagamento, mensal e vitalício, de bolsa-auxílio a mestres e grupos da cultura popular com mais de 20 anos de atuação no Estado. A intenção do projeto é preservar as manifestações populares e possibilitar o repasse de conhecimentos às novas gerações.

A primeira seleção de mestres e grupos a serem contemplados foi realizada em agosto de 2009, pela Fundação José Augusto. Os primeiros mestres estão recebendo a bolsa vitalícia no valor de R$ 750 e os grupos, R$ 1.500 mil.

Os primeiros contemplados são:

Pessoas Físicas

• Luiz de Oliveira Campos - Violeiro Luiz Campos, 70 anos, Mossoró
• João Grigório da Rocha - Escultor Popular Grigório Santeiro, 69 anos, Tangará
• João Gomes Sobrinho - Poeta Cordelista Xexéu, 71 anos, Santo Antônio
• João Viana da Silva - Mamulengueiro João Viana, 79, São José do Campestre
• Antonio Rodrigues da Silva - Mestre-de-Boi-de-Reis Antônio da Ladeira, 85 anos, Santa Cruz
• Antônio Vieira da Silva - Mestre de Boi de Reis e Mamulengueiro Antônio do Papará, 68, Macaíba
• Sebastião João da Rocha - Mestre dos Congos de Guerra Tião Oleiro, 95 anos, Ceará-Mirim

Pessoas Jurídicas de Direito Privado

• Grupo Fandango de Canguaretama - 150 anos de atuação
• Grupo Folclórico Caboclinhos de Ceará-Mirim - 80 anos de atuação
• Grupo Chegança de Barra de Cunhaú - mais de 30 anos de atividades folclóricas

Seria muito importante ver nomes messienses nas próximas listas de contemplados com essa lei, fica um aviso e chamado para que interessados no nosso patrimônio vivo orientar e procurar incentivos como esses.

Fonte:Este post tem informações tirar do site de Mineiro - PT

Gostou da Postagem?

0 comentários:

Postar um comentário