domingo, 17 de agosto de 2014

Polícia Civil acredita que criança foi morta por engano em Mossoró

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte acredita que o garoto de 11 anos assassinado na madrugada deste domingo (17) em Mossoró, na região Oeste potiguar, foi morto por engano. É a linha de investigação que segue o titular da Delegacia Especializada de Homicídios, delegado Clayton Pinho, responsável pelo inquérito do crime. Luiz Juan Pereira da Costa morreu ao ser baleado na cabeça enquanto dormia no quarto de sua mãe no bairro Belo Horizonte.

O delegado explica que a criança estava coberta por um lençol no momento em que foi assassinada. "Apesar dos 11 anos, o garoto era grande. Acreditamos que a criança foi confundida com o pai. O tiro também foi efetuado de uma certa distância e a casa estava escura", afirma Clayton Pinho. O pai do garoto não tem antecedentes criminais, segundo o titular da Delegacia de Homicídios.

Os respónsáveis pelo crime foram três homens que invadiram a casa na madrugada. Além do tiro que matou a criança, os suspeitos também atiraram em outros locais do imóvel.

A mãe do garoto relatou à polícia que estava dormindo com Luiz Juan quando ouviu um chamado do lado de fora. No momento em que abriu a porta da frente pensando ser o marido que havia chegado, os três suspeitos entraram.

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ainda esteve no local após Luiz Juan ser baleado, mas a criança já estava morta. A motivação do crime ainda é desconhecida.

Fonte: G1

Gostou da Postagem?

0 comentários:

Postar um comentário